quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Dia Mundial de Prevenção contra AIDS


Em 1987, a Assembleia Mundial de Saúde, com apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), decidiu transformar o 1º de dezembro em Dia Mundial de Luta Contra a Aids, para reforçar a solidariedade, a tolerância e a compreensão em relação às pessoas infectadas pelo HIV.

Desde o início da epidemia, em 1980, até junho de 2011, O Brasil tem 608.230 casos registrados de aids (condição em que a doença já se manifestou), de acordo com o último Boletim Epidemiológico. Em 2010, foram notificados 34.218 casos da doença e a taxa de incidência de aids no Brasil foi de 17,9 casos por 100 mil habitantes.
Observando-se a epidemia por região em um período de 10 anos, 2000 a 2010, a taxa de incidência caiu no Sudeste de 24,5 para 17,6 casos por 100 mil habitantes. Nas outras regiões, cresceu: 27,1 para 28,8 no Sul; 7,0 para 20,6 no Norte; 13,9 para 15,7 no Centro-Oeste; e 7,1 para 12,6 no Nordeste. Vale lembrar que o maior número de casos acumulados está concentrado na região Sudeste (56%).


ODM 6 - COMBATER A AIDS, A MALÁRIA E OUTRAS DOENÇAS 
Este objetivo trata de deter a propagação destas doenças. Isto depende, fundamentalmente, do acesso da população a informações e meios de prevenção e de tratamento, da não-discriminação, da melhoria das condições de saneamento e de higiene da população, sem descuidar da criação de condições ambientais e nutritivas que estanquem os ciclos de reprodução dessas doenças.

Metas

  • Até 2015, ter detido e começado a reverter a propagação do HIV/AIDS.
  • Até 2015, ter detido e começado a reverter a propagação da malária e de outras doenças.


Exemplos de ações e projetos por este objetivo

  • Programas de mobilização e informação no combate à Aids e outras doenças epidêmicas como malária, tuberculose, dengue, febre amarela (nas empresas e comunidade), tanto nos grandes centros quanto no interior do país.
  • Programas que facilitem o acesso aos medicamentos necessários aos portadores de HIV e à prevenção (vacinas) das demais doenças.
  • Programas de doações e distribuição de remédios às populações de risco e baixa renda.
  • Atividades de combate e prevenção de doenças como hanseníase, câncer e outras doenças.
  • Programas de prevenção na disseminação de informação sobre saúde sexual e reprodutiva para jovens e adultos.
  • Programas de apoio à saúde da família, facilitando acesso a informações sobre planejamento familiar e prevenção de doenças.
  • Programas educacionais de esclarecimento sobre higiene pessoal e sanitária e vacinação.
  • Programas de promoção da qualidade de vida, assistência social e prevenção ao uso de drogas.

Apoiar uma causa como esta é banir o preconceito. É se informar e informar a quem você ama. Para participar não basta ter conhecimento. Precisa de ATITUDE. Essa é uma campanha do Ministério da Saúde.





Veja também
Boletim epidemiológico 2011 (versão em PDF 1,3Mb)


Fonte: Ministerio da Saúde 
            Portal ODM Brasil
            Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais

Nenhum comentário:

Postar um comentário